[HISTÓRIA] – Wesley Walls

0

Antes de Greg Olsen, havia Wesley Walls. Um grande Tight End que jogou sete temporadas nos Panthers entre os anos 97 e 2002. Walls foi uma escolha de segundo round em 1989 pelos 49ers, jogou por lá até 1993 e logo em seguida foi para os Saints onde fez o recorde de mais recepções como TE no time de New Orleans. Após duas temporadas com os Saints, ele assinou um contrato com os Panthers como free agent onde finalmente despontou como jogador.

Wesley Walls: um dos maiores TE's dos Panthers

Wesley Walls: um dos maiores TE’s dos Panthers

Logo quando chegou, Kerry Collins e Steve Beuerlein perceberam que teriam uma vida muito mais fácil com Walls como TE. Constantemente era alvo de seu QB e sempre falava que estava livre e pedia que lançassem para ele. George Seifert (HC dos Panthers entre 99 e 2001) o chamava de “egoísta competitivo” e isso foi um elogio. Na época, Tight Ends não recebiam do que recebem hoje, mesmo proporcionalmente. Recentemente, o próprio disse que se jogasse hoje seria um dos TE’s mais bem pagos da liga.

Steve Beuerlein disse uma vez: “É como se ele sempre tivesse alguma coisa para pensar, para se preocupar… Ele nunca fica confortável.” O ex-treinador de Tight Ends dos Panthers, disse que se tivesse que ter algo em seu Epitáfio seria “GREAT CATCH”.

Walls têm números impressionantes como um Panther, são 324 recepções, 3.902 jardas e 44 touchdowns, foi 5 vezes ao Pro Bowl e como se isso não fosse suficiente, Walls ainda era o punter reserva. Walls era um sólido bloqueador (função importante para um TE, viu, Jimmy Graham?!) e por esses motivos Walls pode brigar com Greg Olsen para ver quem é o melhor TE da história de Carolina.

As comemorações de Wesley Walls também sempre foram diferentes, ele costumava fazer air guitar dentro da endzone ou fingir que estava atirando com um rifle. Uma pena não encontrar vídeos facilmente na internet dessas comemorações.

As dúvidas sobre Walls ou Olsen pairam nas mentes dos torcedores hoje, mas como é bom ter esse tipo de dúvida na cabeça de um torcedor.

 

Compartilhe

Sobre o Autor

Fã de Carolina Panthers desde 2011, Felipe é programador e se aventura como Running Back nas peladas tentando incorporar o espírito de Jonathan Stewart, mas o máximo que consegue é ser um Trent Richardson. Twitter: @lipevieira

Comente