Os Milagres de Gettleman

0

Estamos no SuperBowl 50, isso pode parecer surpresa para muitos, mas com certeza não para os verdadeiros fãs da franquia de Charlotte. A nossa vaga se deve a diversos motivos, mas pessoas fora de campo são MUITO responsáveis pelo nosso sucesso dentro de campo. Ron Rivera possui vários créditos pelo campeonato da NFC, McDermott e Shula também. Mas o maior crédito deve ser dado ao Dono, Jerry Richardson por ter feito a melhor escolha desde que a franquia existe, contratar o GM Dave Gettleman, o maior responsável pela vitória contra Arizona.

Marty Hurney, o ex-GM

Marty Hurney, o ex-GM.

O ex-GM Marty Hurney tem seus créditos por ter draftado as duas maiores estrelas do time, Luke Kuechly e Cam Newton (MVP para os íntimos), porém, fez um péssimo trabalho com o Salary Cap e se demitiu após um péssimo inicio na temporada 2012-13. Na offseason, Gettleman foi contratado após quase 15 anos trabalhando para o NY Giants.  Com o Salary Cap devastado por uma série de contratos ruins e 15 milhões acima do teto salarial, Dave teve muito trabalho e cortou o maior CB de nossa história, Chris Gamble, além de reestruturar o contrato de vários jogadores chave como Jordan Gross (LT), Jon Beason (LB) e o recordista de reestruturações do time, Charles Johnson (DE). Com isso, ele conseguiu chegar ao teto salarial e montar um time que seria 12-4 na temporada seguinte. Gettleman transformou a cultura de Carolina com o Draft, quando tinha-se um Depth muito fraco de DT por péssimas decisões de Hurney (Leia Sione Fua e Terrell McClain), Dave fez algo que parecia erro de GM novato, selecionou dois DTs nas duas primeiras rodadas, Star Lotulelei e Kawann Short, dois dos melhores jogadores da defesa.

Para suprir pontualmente as necessidades do time, ele nunca fazia loucuras como o antigo GM, esperava a segunda semana do Free Agency, onde conseguiu jogadores como Ted Ginn Jr., Ed Dickson, Kurt Coleman, Mike Mitchell, Jerricho Cotchery, Roman Harper, entre outros. A primeira semana da free agency é conhecida pelo alto valor de contratos que acabam ocorrendo e contribuindo para o caos em tetos salariais dos outros times. Na segunda semana, com todos os grandes jogadores contratados, o time consegue jogadores underrated com baixo valor contratual. O sucesso do time passa diretamente por esses jogadores. Óbvio que Gettleman tem seus erros, como a contratação de Antoine Cason e Thomas DeCoud, mas, contemplando todo o trabalho dele em Free agency, o saldo é infinitamente positivo. Apostar em jogadores rodados e que não obtiveram sucesso é um clássico de Dave, Ted Ginn Jr e Michael Oher conseguiram um êxito que nunca tiveram em lugar algum. Ginn só foi efetivo como recebedor em Carolina, somando 1,400 jardas e 15 TDs em apenas duas temporadas com os Panthers. Big Mike foi de um RT ruim e que era conhecido apenas pelo filme “Um Sonho Possível” para um dos melhores LTs da Liga em apenas uma temporada.

Dave Gettleman observando mais um treino

Dave Gettleman observando um treino.

Outro ponto importante da era Dave Gettleman é o pós-draft, onde os prospects não selecionados estão livres para serem contratados por qualquer franquia. Nessa Etapa, Gettleman é excepcional, conseguiu Andrew Norwell, um Guard de nível All-Pro e Philly Brown, que no jogo contra Arizona teve o seu career game. Melvin White, que chegou a ser titular durante uma temporada na posição de CB, e Ryan Delaire também não foram selecionados durante o Draft. Além disso, anualmente de 3 a 4 jogadores em média costuma fazer parte dos 53 jogadores do Roster principal, número que acaba demonstrando como Dave tem capacidade para encontrar talentos pouco badalados. Atualmente, Gettleman até se dá ao luxo de trocar as escolhas finais do Draft para subir posições no recrutamento, pois sabe que não fará falta.

Um ponto que pode acabar com franquias são seleções altas que acabam por se tornar Busts. E Dave não errou em nenhuma escolha alta. No primeiro ano, Dave selecionou Star e Kawann. No Segundo, Kelvin Benjamin e Kony Ealy. No Terceiro, Thompson e Funchess. O único jogador questionável entre os 6 é Ealy, apesar de ter ido bem nessa temporada em alguns momentos. Gettleman é um GM Especial, parte crucial desse time de SuperBowl. E ele é capaz de fazer decisões certas a qualquer instante. Um time campeão precisa de um GM inteligente e isso nós definitivamente temos.

 

Compartilhe

Sobre o Autor

Torcedor dos Panthers desde 2004, quando tinha apenas 5 anos, sempre manteve amor pelo time desde lá nunca deixando de divulgar seu amor pelo time mesmo com Jimmy Clausen como QB. QB do SP Tigers tem como grande inspiração o QB Cam Newton e suas corridas malucas

Comente