[Pós-jogo] – Carolina Panthers @ Oakland Raiders

0

cam-newton-correndo-pra-endzone

Dessa vez não teve apagão no segundo tempo. Na verdade, foi no segundo tempo em que jogamos melhor, pelo andar da carruagem no primeiro tempo parecia que iria vir um passeio, talvez fosse melhor que tivesse sido assim, pois logo depois de criar esperanças para a vitória, os Raiders entraram no jogo e despedaçaram nossos sonhos de playoffs.

Depois de um primeiro quarto que terminou empatado, os Raiders abriram vantagem de 24 a 7 ao final do primeiro tempo, com destaque para Khalil Mack que claramente estudou tape dos Panthers e sabia exatamente o que Cam Newton iria fazer no screen. Leu a jogada, saiu do bloqueio, interceptou e levou para casa. Nesse momento, até pelas atitudes dos jogadores em campo, que estavam indo para o huddle lentamente, sem gana de virar a partida, eu já desistia da vitória. Os Raiders ganhavam por 3 posses de bola e parecia que nem fizeram tanto esforço assim.

No início do segundo tempo, Derek Carr deslocou o dedo mínimo da mão direita e sofreu um fumble recuperado por Carolina. Os Panthers capitalizaram o turnover e marcaram o touchdown com Jonathan Stewart em uma corrida de 1 jarda. Graham Gano teve seu XP bloqueado.

Com Derek Carr no vestiário para olhar o seu dedo deslocado, Matt McGloin entrou para substituir o QB titular. McGloin que chegou a fazer tryout nos Panthers, saiu de campo após um three-and-out e as esperanças dos torcedores começavam a se acender.

Se com McGloin precisou de três jogadas para sair de campo, Newton precisou também de três, mas para sair com 6 pontos. Em um passe de 88 jardas – o TD mais longo da franquia – Newton achou Ted Ginn para acender a chama da esperança da vitória de vez. Ron Rivera tomaria a primeira decisão errada da noite indo para conversão de 2 pontos já que ainda estávamos no terceiro quarto. 24-19 Raiders.

Derek Carr voltou dos vestiários com uma luva na mão direita e foi interceptado por Thomas Davis em uma jogada fantástica do LB que alcançou 10 interceptações desde 2012 – a segunda melhor marca de INTs de um LB da liga, ficando atrás apenas para… Luke Kuechly.

Mais uma vez, os Panthers capitalizaram em cima do turnover com outro TD de Jonathan Stewart. Ron Rivera arriscou ir para 2 pontos de novo. Nada feito. 5 pontos jogados no lixo entre conversões e extra point.

Aproveitando o setor mais fraco da defesa dos Raiders – a secundária, os Panthers pontuariam novamente no quarto período em um touchdown lindo de 44 jardas de Kelvin Benjamin. Panthers 32-24.

A partir daí, os Panthers resolveram mostrar o seu maior problema na temporada. Não é a OL, não é o pass rush, não é a secundária. O time simplesmente não consegue finalizar o jogo. Os Raiders empataram com o touchdown do TE Clive Walford e a conversão de 2 pontos foi boa com Seth Roberts. Na campanha seguinte, Ron Rivera não quis arriscar uma 4th&1 e Derek Carr posicionou Janikowski para o chute. Cam Newton até conseguiu fazer uma boa campanha, mas Greg Olsen dropou um passe em uma terceira descida crucial. Para finalizar o jogo, nada melhor do que a OL ceder o sack para fechar o caixão.

Poderíamos estar sem exagero nenhum, 9-2 se soubéssemos finalizar. É por isso que o time de 2015 terminou 15-1. Esse jogo foi quase igual o de Seattle do ano passado, finalizamos lá, não finalizamos aqui e já estamos com a cabeça em Dalvin Cook.

Compartilhe

Sobre o Autor

Fã de Carolina Panthers desde 2011, Felipe é programador e se aventura como Running Back nas peladas tentando incorporar o espírito de Jonathan Stewart, mas o máximo que consegue é ser um Trent Richardson. Twitter: @lipevieira

Comente