Pós-jogo – Panthers @ Bears {ACABOU A PAZ}

0

Se você assistiu ao jogo dos Panthers no domingo, parabéns! Você tem estômago de gente grande e está preparado para qualquer coisa nojenta que cruzar o seu destino. Se você não assistiu ao jogo dos Panthers no domingo, parabéns também, você fez um grande favor ao seu estado físico e mental. E não estamos exagerando nem um pouco. Foi triste ver o time dos Panthers jogando em Chicago, especificamente o ataque que não conseguiu produzir NADA contra a mediana defesa dos Bears. Tem muita coisa errada para comentar dessa partida, e tentarei ser breve ao aborda-las.

Resumindo a partida como um todo, em questão de números, fomos superiores aos Bears em quase todas as estatísticas possíveis, menos em turnovers e o mais importante, claro, no placar. Tivemos quase 40 minutos de posse de bola e não conseguimos marcar um mísero touchdown o jogo todo, nem mesmo colocar Graham Gano para chutar mais field goals, o que só foi possível uma única vez. É inadmissível um time com TANTO talento ofensivo não conseguir marcar touchdowns, é mínimo em uma partida de futebol americano. Parece que o ataque perdeu a vontade de ganhar jogos, que o resultado e desempenho nas partidas não passam de detalhes nos domingos de NFL. E isso não só por parte dos jogadores, mas também da comissão técnica (chegaremos lá).

MVP’s

Defesa

Sim, difícil elogiar a defesa como um todo em uma partida, mas de fato, da para contar nos dedos de uma mão o número de jogadas de impacto produzidas pelo ataque adversário.  Vale lembrar que não contamos com Kuechly e Coleman para esse jogo e o time pareceu não sentir falta dos titulares, já que Colin Jones e David Mayo foram bem quando necessário.

Vale destacar mais uma ótima partida de Jullius Peppers no domingo. No melhor drive do ataque dos Bears durante o jogo, que culminou em oportunidades para GOAL, Peppers apareceu evitando o touchdown em duas jogadas seguidas.

Julius Peppers alinhando contra qualquer TE, normalmente é um ótimo matchup para nós. Peppers simplesmente ignorou o bloqueio do camisa #88 e atacou Howard antes que o talentoso RB conseguisse iniciar sua rota para o touchdown.

Na Jogada seguinte, play-action de Mitchell Trubisky e Julius Peppers de 37 anos executa essa “pursuit” para acompanhar o jovem QB dos Bears, e evitar o touchdown de Chicago.

Outro jogador que se destacou na partida, foi Shaq Thompson. Com a ausência de Luke e com Thomas Davis baleado, Shaq teve mais snaps e foi bastante eficiente contra o jogo terrestre.

Ótimo first step de Shaq Thompson que conseguiu chegar no backfield bem na hora do handoff, sem chances para Jordan Howard tentar correr com a bola.

Olho no #54! A fera que atende pelo nome de Shaq Thompson, mostra toda sua velocidade ao atravessar o campo para impedir o avanço de Trubisky. Nessa jogada vemos Shaq jogando em formação de nickel. Normalmente, com Luke em campo, Shaq sai de cena para a entrada de Captain Munnerlyn, mas com a ausência do camisa #59, ele fez o papel que seria de Kuechly.

Not MVP’s

Chegou a hora! Agora a cobra vai fumar! Vamos soltar o verbo nesses pés rapados que não querem nada com a vida.

Curtis Samuel

Não da mais para “passar o pano” no Samuel. Rivera disse que ia fazer de tudo para encaixar Samuel no playbook, já visando o jogo contra os Bears, e a primeira jogada dele resultou em um fumble retornado para touchdown. Basicamente, essa foi a “contribuição” de Curtis Samuel para o jogo. Depois do fumble o calouro só foi exigido mais uma vez na partida, para uma recepção de 20 jardas no final do terceiro quarto. Fora isso, voltou a apresentar seu football habitual, sumido o jogo todo. Ele ainda participou de outros snaps, mas não foi acionado.

Parece que Samuel não tem confiança em seu jogo, e quando participa, parece que vai para a bola “sabendo” que não vai acontecer nada. Cabe à comissão técnica, ajudar o jogador a encontrar seu melhor estado emocional possível, conversando, estimulando ou trazendo acompanhamento psicológico. Mas esperar algo de Ron Rivera e cia nesse sentido, parece loucura, não é?

Matt Kalil

Matt Kalil “fede de ser ruim”, e a gente sempre soube disso. Foi de longe a pior partida do Kalil JR como um Panther. Enfrentando um edge rusher que não é lá grandes coisas (Parnell McPhee), Matt kalil desfilou toda sua mediocridade e falta de talento.

Péssimo hand placement de Kalil, que simplesmente desiste da jogada e tenta “finalizar” o bloqueio com uma mão. Óbvio que ia dar ruim.
PS: Observem o DT Hicks destruir o pobre coitado do Silatolu.

Além disso, Kalil é quase nulo no jogo terrestre. Sua noção do que está acontecendo na jogada é pobre, e impacta negativamente o jogo corrido quando a jogada é entre ele o LG (Norwell).

Kalil deixa o #53 passar e vai bloquear o jogador que já estava sendo bloqueado, lol.

Observem atentamente o número 75 de branco, até o final da jogada. Parece que ele está segurando bem o bloqueio, quando de repente, Sam Acho o faz sentar no chão, como se o colocasse de castigo.

Andrew Norwell

Nunca vi uma partida tão ruim de Norwell como a de domingo. Péssimo na leitura das jogadas, coisa que ele faz muito bem, e muito mal na execução também. Ele e Turner não estão fazendo uma boa temporada, longe disso, e precisam ser criticados quando necessário. Lembrando que Norwell está no seu último ano de contrato e precisa mostrar mais qualidade.

Erro básico de Norwell na leitura da jogada. O LB vai para o blitz e Norwell simplesmente o ignora.

Kevon Seymour

nickel cornerback que veio dos Bills, não consegue marcar outside WR, principalmente os rápidos. Falamos no pós-jogo da partida anterior, contra os Eagles, que Rivera estava revezando Seymour com o Worley de vez em quando, porque ele (Rivera) achava pertinente testa-lo. Contra os Bears, houve alguns snaps em que Seymour entrou no lugar de Worley, e, coincidência ou não, a jogada de maior impacto do ataque dos Bears foi num passe em cima de Seymour. Um nickle CB marcando Tarik Cohen, running back de alta velocidade vertical, no outside… Match up totalmente desfavorável para os Panthers em qualquer plano dimensional.

Acompanhe Seymour, com a camisa 27 no canto do vídeo. Observe Cohen tirando totalmente o CB dos Panthers da jogada com um double move. Note também que o camisa 27 não conta com a ajuda do S numa cover 1. Ainda estamos tentando entender a falta de confiança que Rivera tem em Worley, pois colocar Saymour em seu lugar parece piorar muito a situação.

Ron Rivera***

Ron Rivera é um dos nossos principais problemas? Acho que sim.
Um Head Coach necessita obrigatoriamente ter comando, ser motivador e estrategista. Ron não está apresentando nenhuma dessas três premissas. Veja que nessa partida contra os Bears, mais uma vez, Ron não utilizou os timeouts de forma estratégica, ou seja, para parar o relógio quando necessário. Moral da história: o 1º tempo acabou com uma baita recepção de KB próximo a red zone, mas não tínhamos tempo para pedir, de modo que não conseguimos nos posicionar para chutar o FG. Esse lance demonstra falta de comando, pois KB (completamente desligado do tempo) faz a recepção e não se apressa para colocar a bola em posição de snap rapidamente. Precisávamos de agilidade para tentar o spike, e o camisa 13 simplesmente ficou segurando a bola. Para se ter uma ideia, a zebra estava com muito mais pressa que ele, e acabou tirando a bola de suas mãos.Esse lance deixa claro a falta de motivação e comprometimento dos jogadores de ataque. Seria essa postura, reflexo da apatia de Ron Rivera à beira do campo? Se Ron fosse mais elétrico e participativo no jogo, será que os jogadores não estariam mais ligados?  Questionado sobre os timeouts em uma entrevista antes do intervalo, Ron justificou um deles, dizendo que a comunicação entre a sideline e Cam Newton, estava falhando.

É preciso citar também, a falta de capacidade dos treinadores em mudarem as circunstâncias do jogo. Raramente conseguimos nos recuperar em um jogo que iniciamos mal ofensivamente. Mais uma vez ocorreu esse fato. Começamos e terminamos com um ataque inoperante e acéfalo. A culpa é do Shula? Também! Ele tem sua parcela sim, e ela é grande. Mas onde está o Head Coach da equipe, para tomar a rédeas dessa situação e mostrar que nesse barco tem capitão? Até mesmo Schula precisa ser cobrado por Rivera.

Na humilde opinião desse torcedor, a comissão técnica perdeu o comando. Não existe mais confiança dos atletas nos treinadores e tal fato gera descomprometimento e desmotivação.

***Participação especial de Radames Melo

#KeepPounding

Compartilhe

Sobre o Autor

Fã do Carolina Panthers desde 2011, João Marcelo começou a se aventurar no mundo de matérias dos Panthers em 2014 onde criou um blog exclusivo dos Panthers. Tem como ídolo Luke Kuechly e espera que ele vire o próximo Ray Lewis.

Comente