[PÓS-JOGO] – Panthers @ Broncos

0

Fora Gano

A longa espera chegou ao fim. Talvez não tão longa para nós, torcedores dos Panthers, uma vez que a derrota do Super Bowl nos abalou de tal maneira que, durante um bom tempo, tudo que queríamos era um pouco de sossego de futebol americano.

Entretanto, bastou o início do draft e dos camps  para todo aquele interesse e paixão retornarem ainda mais fortes e intensos que antes da doída derrota. Afinal, na alegria, na tristeza, nunca deixaremos de acompanhar, torcer e amar a franquia de Carolina, sempre seguindo a mentalidade de Sam Mills.

O retorno dos Panthers não poderia ser mais especial – e mais complicado. Season Opener reeditando o duelo do SB 50, em Denver. Uma vitória lavaria nossa alma, pelo menos um pouco, após uma das derrotas mais tristes e marcantes de nossa história. Os Broncos não são mais os mesmos, tendo perdido alguns jogadores na linha ofensiva e na defesa, além de contar com a estréia do QB Trevor Siemian, segundo anista que nunca havia tentado um passe na liga.

O primeiro quarto não poderia ter começado melhor, com o fumble do novato Devontae Booke forçado por Charles Johnson e recuperado por Shaq Thompson. Com a bola em mãos o ataque dos Panthers veio com tudo, misturando boas corridas de Jonathan Stewart, uma trick play de Ted Ginn Jr. e bons passes de Cam Newton, que finalizou com um de 17 jardas para Kelvin Benjamin – O Retorno – para o touchdown. Em sequência, o ataque de Denver veio fazendo boa companha, até que Vernon Butler conseguiu um belíssimo sack em Sieman para uma perda de 9 jardas e, na joganda seguinte, Star Lotulelei desviou um passe que terminou interceptado por Thomas Davis. No entanto, o turnover não foi capitalizado, com um three and out do ataque de Carolina.

kelvin-benjamin-denver-broncos

O segundo quarto, por sua vez, começou com Denver dando sinais que ainda estava na partida, marcando um touchdown em apenas 2 minutos e 36 segundos. Todavia, o ataque dos Panthers respondeu com uma bela campanha de quase 9 minutos que culminou em uma corrida de Super Cam para a end zone, quebrando os recordes de TD corrido por QB de jogos com pelo menos um TD corrido e passado. Mais um field goal ao final do primeiro tempo e o placar terminou 17-7.

No terceiro quarto, novamente, a defesa conseguiu uma interceptação para mostrar que o jogo estava sob controle. Contudo, a partir dai, começamos a sofrer com o famoso “apagão do segundo tempo”. A linha ofensiva cansou e a defesa dos Broncos cresceu, produzindo muita pressão em Newton fazendo com que o ataque nada fizesse e ainda perdesse a bola, com uma interceptação após passe desviado . A defesa, por sua vez, foi exposta pelas excelentes corridas de CJ Anderson. Com isso, os broncos conseguiram 2 touchdowns e viraram a partida. Conseguimos ainda marcar um field goal e forçar o three and out para ter uma chance de emplacar uma campanha da vitória.

No entanto, apesar de Newton conseguir conduzir milagrosamente a campanha para uma boa posição de campo para o field goal, com um passe lateral sensacional para Ted Ginn Jr. restando poucos segundos no relógio, o contestado Graham Gano errou o chute de 50 jardas, dando razão novamente aos seus críticos. E, assim como no SB 50, paramos na excelente defesa de Denver.

Por fim, convém ressaltar que esse era um dos jogos mais duros do calendário e que o time, apesar das falhas, deu mostras de que pode se ajustar e fazer uma grande campanha. Isto é, não há motivos para desespero, com alguns ajustes e um pouco de momentum, ficaremos bem. Uma menção honrosa aqui para Vernon Butler  e Shaq Thompson que fizeram excelente partida, revelando  o futuro promissor de nossa defesa. E também para James Bradberry que  apesar de estar entrando “na fogueira”,  fez uma partida sólida, apesar de algumas falhas.

tempcarvsden2676-nfl_mezz_1280_1024

Destaques positivos – (Ver também):

Kelvin Benjamin – Muito bom ver o Benji retornando e fazendo uma partida sólida, com 91 jardas e 1 TD recebidos. Foi o principal alvo do ataque e fez recepções importantes para first down em terceiras descidas, além de ter marcado o primeiro TD da temporada.

Super CAM – A cada jogo Newton mostra o porque de ser conhecido como Super Cam. Apanhou o jogo inteiro, com 6 pancadas na cabeça, e não perdeu um snap. Apesar do início de segundo tempo ruim do ataque, quando precisamos ele nos colocou em posição para vencer a partida.

Andy Lee – Uma estréia de gala do punter que encheu os olhos do torcedor de lágrimas, após anos de mediocridade na posição. Terminou a partida com uma média acima de 60 jardas por punt e quebrou o recorde da história do Carolina Panthers com uma patada de 76 jardas no decorrer da partida, calando os críticos da troca feita por Gettleman.

 

Destaques negativos – (Ver também):

Graham Gano – Não vou me alongar aqui, Gano é alvo de críticas deste Portal há um bom tempo. Mostrou novamente que não é um kicker confiável. Apesar de não vislumbrar uma possível saída do kicker de Carolina nas próximas temporadas, espero que o front office esteja atento ao mercado e ao college.

Refs – Não convém entrar detalhadamente aqui, pois é objeto de posts específicos aqui no Portal. Incríveis 6 pancadas na cabeça de um QB e apenas uma falta. Uma vergonha para uma liga que diz prezar pela saúde dos atletas.

late-hits-newton

Coaching staff – Desde a  temporada passada sofremos com o famosos “apagão do segundo tempo”. Acho que passou da hora dos técnicos encontrarem uma solução para esse problema, talvez deixando um pouco o conservadorismo de lado e sendo mais agressivos, tanto no ataque quanto na defesa. Outro ponto, que foi bem destacado no post de Felipe Vieira é a utilização abusiva de KB nas situações de passe, que recebeu muito mais snaps que os demais recebedores.

MVP da partida:

Super CAM (Tomar 6 pancadas na cabeça, continuar em pé e nos colocar em posição de ganhar a partida não é pra qualquer um).

Notas dos setores:

Quarterback: B+

Running backs: B

Wide Receivers: B-

Tight Ends: A

OL: B-

DL: B

Linebackers: B

Secundária: B-

Compartilhe

Sobre o Autor

Estudante de Direito, se tornou fã dos Panthers a partir da temporada de 2011, após se impressionar com as atuações do então calouro Cam Newton, o que levou a paixão pela franquia de Carolina.

Comente