Pós-jogo – Panthers @ Buccaneers

1

Depois de uma derrota pavorosa na semana passada, em Chicago, os Panthers foram até a Florida e venceram com tranquilidade os Buccaneers.

O jogo foi marcado pela volta de Luke Kuechly e Kurt Coleman, recuperados de suas contusões. A dupla ajudou a defesa a não sofrer nenhum touchdown no jogo inteiro pela quarta vez em oito jogos nessa temporada. Incrível! Nessa partida finalmente voltamos a forçar turnovers e conseguimos interceptar alguém pela primeira vez desde a semana 1, contra Brian Hoyer. Foram duas interceptações no jogo, uma de Mike Adams e outra de Luke Kuechly, que comandou a Defesa com a mesma maestria de sempre.

O ataque foi totalmente inconsistente, de novo. Kelvin Benjamin e Devin Funchess, nossos dois WRs titulares, sumidos na maior parte da partida. Kelvin ainda anotou um touchdown no último quarto, mas até então estava fazendo uma partida para se esquecer. Vale ressaltar que Tampa Bay estava jogando sem os dois CBs titulares, Brent Grimes e Robert McClain (aquele mesmo), e os enfrentamos com Vernon Hargreaves III, de 1,80m, marcando Kelvin Benjamin, de 1,95, e mesmo assim não conseguimos tirar muito proveito desse matchup “favorável”.

A real é que falta muita coisa para termos um bom ataque novamente. O jogo terrestre melhorou um pouco em relação ao que vinha sendo mostrado, mas ainda está longe de uma performance decente. Na partida de domingo, até Cameron Artis-Payne ganhou mais snaps, e foi relativemente bem em suas corridas quando necessário. O importante é que, pelo menos ontem, Shula não inventou muita coisa e fez o famoso feijão com arroz, mas faltou sucesso na execução em vários lances. Ainda sentimos falta de um WR que desempenhe o papel que Ted Ginn Jr tinha nos Panthers, um cara com velocidade vertical para esticar o campo e levar a marcação junto. Como não temos essa peça, Devin Funchess e Curtis Samuel tentam fazer essa função, sem sucesso, já que pelas características dos jogadores podemos ver que não é o ideal. Trouxemos o Kaelin Clay pro roster, um cara de extrema velocidade vertical, mas que não foi usado no ataque contra os Buccs. O WR integrou o time de especialistas e trabalhou apenas no retorno de punts.

MVP’s

Luke Kuechly

Nosso HOMÃO está de volta! Após se machucar contra os Eagles e perder o jogo contra Chicago na semana passada, Luke passou no protocolo de concussão e foi liberado para jogar contra Tampa. E com Luke em campo são outros 500! Ele trouxe de volta o ball skill que a defesa estava precisando e conquistou sua segunda interceptação na temporada, a terceira do time nesses 8 jogos.

INT Luke

Destacamos acima o lance da Interceptação do Luke. Essa jogada o diferencia dos demais ILBs da liga. Veja como ele acompanha e vigia o TE, em sua rota saindo do slot, quando simplesmente sente a jogada acontecendo e se antecipa para fazer a highlight play. Monstro!

Luke Kuechly terminou o jogo com 8 tackles, 1.5 para perda de jardas e 1 interceptação. Voltou com o pé direito para botar ordem na casa.

James Bradberry e Daryl Worley

Nossos cornerbacks foram importantes demais para a vitória contra os Buccs. James e Worley, quase anularam os ótimos wide receivers de Tampa no jogo. Mike Evans foi acionado 10 vezes e terminou a partida com 5 recepções, enquanto Desean Jackson teve apenas 3 recepções em 8 lançamentos feitos para ele. Worley vem revezando snaps com Seymour, mas parece ter tomado de vez a posição no decorrer do jogo. Se mantiver o mesmo nível de football, a defesa tende a crescer ainda mais com ele.

Normalmente Bradberry marca o outside WR do lado direito do ataque, e Worley o do lado esquerdo. Porém, domingo foi diferente. Bradberry marcou individualmente Mike Evans e Worley se encarregou de marcar Desean Jackson, não importando o lado do campo em que estivessem.

Brad PBU

Fique de olho no topo da jogada, onde Bradberry encara Mike Evans saindo do press. O WR saiu bem da linha de scrimmage e foi muito bem acompanhado por Brad, que conseguiu desviar o passe de Wiston na conclusão da jogada.

É importante destacar que o ataque dos Buccs teve sua parcela de contribuição para o bom jogo dos nossos CBs, pois Jameis Wiston estava em uma tarde totalmente imprecisa, e Mike Evans foi Mike Evans, dropando passes que poderiam ter se tornado recepções importantes. Mas nada disso anula o bom desempenho dos CBs, e a jogada acima é prova disso.

missed touchdown by evans

Nessa jogada Brad perde o mano a mano contra Evans e só não foi touchdown porque Jameis botou muita mostarda na bola. Brad reclamou que foi puxado pela grade do capacete no espaço de contato, nada foi marcado pelas zebras.

Worley PBU

Aqui, o lançamento de Wiston foi um pouco atrás, mas Worley estava bem na marcação e foi preciso levantando os braços para encostar na bola, e desviar o que seria touchdown.

Jullius Peppers

Perdi as contas de quantas vezes o Pimentinha entrou para a lista de melhores da partida esse ano. Contra os Buccs, Peppers anotou mais um sack na temporada, o de número 7.5, e se tornou o 4º na lista dos maiores sackadores da história da NFL. Nesse sack, ainda forçou um fumble, o de número 31 dele como um Panther, e se tornou o líder isolado nesse stats.

strip sack 31 peppers

Strip sack de Peppers em cima de Wiston. Destaque para o tapinha que Butler deu na bola, e ajudou a recuperar o fumble.

Menções honrosas

  • Kurt Coleman
  • Kawann Short
  • Kyle Love

Not MVP

Charles Johnson

Não da mais para CJ continuar jogando. É nítido que ele não aguenta mais a NFL e precisa se aposentar ao final da temporada. Charles fez uma má partida em vários sentidos, não conseguiu botar pressão no Wiston, não conseguiu acompanhar o jogo terrestre adversário contra Doug Martin, e ainda teve dois offsides, das cinco faltas totais dos Panthers, no jogo. O que o Peppers tem de gasolina no tanque, CJ com 6 anos a menos que Peppers,  nem sonha em ter. No final da temporada a diretoria precisa tratar da saída de Charles Johnson da equipe, e principalmente, trazer alguém mais jovem para o lugar dele.

Devin Funchess

Deu pra perceber que Funchess teve um jogo abaixo de sua capacidade. O WR foi acionado 6 vezes por Cam Newton e fez apenas 2 recepções, que garantiram 11 jardas totais. Foi possível notar que ele foi mal utilizado em alguns snaps, por exemplo: um wide receiver de 1,96 de altura, que corre 40 jardas em 4.7 segundos, não tem condições de ser usado com deep threat, pois tem muitas chances de não dar em nada. E foi no que deu, em nada.

Era o jogo ideal para Funchess brilhar, por enfrentar marcadores bem menores e menos físicos que ele, mas não foi o que aconteceu. Vernon Hargreaves III e Ryan Smith, de 1,80 e 1,82 respectivamente, foram superiores ao alto WR dos Panthers. Mais uma vez o Game Plan parece ter sido feito de modo displicente.

Conclusões:

Era de extrema importância a vitória nessa semana, não só por termos vindo de duas derrotas, mas principalmente por ser contra um adversário de divisão e estarmos em 0-1 nesses confrontos divisionais (derrota contra os Saints). Se tivéssemos perdido, ficaríamos 0-2 na divisão, e o abalo psicológico poderia causar um grande estrago, tendo outro confronto divisional na sequência, contra os Falcons em Charlotte.*  A vitória muito importante!

*ESSE JOGO SERÁ MARCADO PELA PRESENÇA DE DOIS ADMS DESSE SITE IN LOCO. Vai ser lindo. Até semana que vem. #KeepPounding

Compartilhe

Sobre o Autor

Fã do Carolina Panthers desde 2011, João Marcelo começou a se aventurar no mundo de matérias dos Panthers em 2014 onde criou um blog exclusivo dos Panthers. Tem como ídolo Luke Kuechly e espera que ele vire o próximo Ray Lewis.

1 Comentário

Comente