Steve Smith comenta sobre a entrevista de DeAngelo Williams

0

Jerry Richardson
Após seu corte, DeAngelo falou sobre seus ex-companheiros de franquia. Disse que o único jogador que foi no funeral de sua mãe foi Greg Hardy, aquele que esteve envolvido com uma acusação de agressão pela liga, disse também que o dono do time, Jerry Richardson, sequer ligou para mandar-lhe condolências. Depois disso, ainda disse que os companheiros o abandonaram após a morte de sua mãe.

Steve Smith obviamente não defendeu seus ex-colegas de time mas elogiou seu ex-patrão, por quem ele tem muito carinho e esse carinho é mútuo. Ele falou que, para ele, Smith é como um “velho pai” e que sua gratidão por ele não pode ser retribuída, pois ele deu a oportunidade de mudar sua vida e de sua família por gerações.

Mas Steve Smith também mudou a história dos Panthers por ser o maior jogador da história da franquia até o momento. Também mudou a história de um número, ele mudou de um número simples para o número de um ídolo. O número 89.

“Eu não queria usar aquela camisa e eles falaram que me deram esse numero porque eu teria a chance de mudar a má sorte, eu queria muito mudar isso pois eu sabia quem tinha usado aquele número. Eles tiveram muita confiança em mim, foi algo realmente especial. Isso é porque eu ainda visto esse número, isso mostra a confiança que eles tem em mim e eu não sei se eu tenho isso em mim mesmo.”

O antigo dono da camisa 89 foi Rae Carruth, que foi selecionado na primeira rodada do Draft de 1997, era um talento nato. Mas em 1999, Rae matou a ex-namorada com 4 tiros, sendo que ela estava grávida de 8 meses, a criança nasceu, mas a mãe morreu e Rae foi condenado a mais de 20 anos de prisão. A camisa 89 nunca será lembrada pela infelicidade de Rae, mas sim pelo coração indomável de Steve Smith. Também não lembraremos de DeAngelo pelas suas últimas declarações mas sim pelas suas corridas e pela força que teve ao perder tanta gente importante em sua vida. Que o Keep Pounding esteja com vocês.

Compartilhe

Sobre o Autor

Torcedor dos Panthers desde 2004, quando tinha apenas 5 anos, sempre manteve amor pelo time desde lá nunca deixando de divulgar seu amor pelo time mesmo com Jimmy Clausen como QB. QB do SP Tigers tem como grande inspiração o QB Cam Newton e suas corridas malucas

Comente